Bem vindo ao site da SPEA - sociedade portuguesa para o estudo de aves

Opções do site

Subscrever Newsletter

Outras opções do site

Pesquisar no site

Data actual

Principais opções do site

Novembro 2017
D
S
T
Q
Q
S
S
 
 
 
1
3
5
6
7
8
9
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
27
28
29
30
 
 
A Nossa Missão
A SPEA é uma ONG de ambiente sem fins lucrativos, que tem por missão trabalhar para o estudo e a conservação das aves e seus habitats, promovendo um desenvolvimento que garanta a viabilidade do património natural para usufruto das gerações futuras.
Home  > Participar > Campanhas > Ave do ano 2014 - cegonha-branca
imprimir

Ave do ano 2014 - cegonha-branca



Acompanhe as cegonhas-brancas pelas câmaras do mundo:
- Portugal (veja a câmara 1 e 2)
- Roménia
- Polónia
- Holanda
- Áustria
- Lituânia


Espécie migradora na Europa, a sua chegada na primavera, a nidificação próxima a populações ou mesmo em edifícios e os conhecidos rituais nupciais tornaram esta ave num símbolo de boa sorte e fertilidade.

A cegonha-branca é uma ave protegida, associada aos habitats de água doce, pastagens e prados, onde se alimenta. A evolução da sua população em Portugal tem sido irregular. Na Europa medieval foi beneficiada devido à desflorestação e ao aumento de campos abertos, mas com a revolução industrial, a intensificação da agricultura e o uso massivo de DDT sofreu uma regressão importante, chegando a ficar com estatuto de ameaça ou mesmo a desaparecer de vários países europeus. Hoje em dia a população europeia recuperou ligeiramente, embora se mantenha escassa nos países do norte da Europa: a título de exemplo registou-se um casal no Luxemburgo, pela primeira vez em 2013, e na Bélgica é conhecido apenas um casal nidificante.

Na Península Ibérica, após uma regressão acentuada desde os anos 50, a população recuperou em área de distribuição e abundância, um pouco graças ao fim da seca nos países do Sahel, em África, e, em Portugal e Espanha, a expansão do lagostim-de-louisiana e a proliferação de lixeiras ajudaram a fixar muitas colónias de cegonha.

2014 é também o ano do Censo Nacional da Cegonha-branca. Este censo vai decorrer durante a primavera–verão de 2014 e será coordenado pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) e a SPEA participará como parceira, bem como a Quercus, a LPN e A Rocha.O objetivo é recensear todos os ninhos de cegonha-branca em Portugal, de modo a obter dados reais e atualizados sobre a distribuição e abundância da espécie.







O custo da chamada é 0,60€ + IVA por chamada.


Nome científico:
Ciconia ciconia
Caraterísticas: espécie geralmente migradora de lon~ância, que passa o inverno em África
Ocorrência: Europa, África, Médio Oriente
Quando pode ser observada: primavera/verão, embora muitos indivíduos se mantenham residentes no inverno, em especial no Sul do país
Habitat: próximo de rios, pauis e represas, arrozais e outras zonas agrícolas extensivas, com pardos e pastagens, aglomerados rurais
Alimentação: pequenos vertebrados e invertebrados, como rãs, peixes, lagostins de água doce, gafanhotos, mas também desperdícios alimentares que encontram nos aterros sanitários;
Distribuição: mais abundante no sul, sendo particularmente abundante na bacia do Tejo e no Alentejo. Até há poucos anos era dada como desaparecida do Minho, tendo-se observado mais recentemente o seu regresso;
Estimativa da população: em 2004, o último censo contabilizou 7684 ninhos de cegonha em Portugal (Consultar o relatório do Censo Nacional de 2004)


Curiosidades:

- Pertence, juntamente com as garças, colhereiros e íbis à ordem dos Ciconiiformes.
- A sua congénere mais próxima, a cegonha-preta, Ciconia nigra, é muito mais rara e evita a presença humana;
- Em Portugal a sua dieta “natural” inclui uma grande quantidade de invertebrados como o lagostim-da-louisiana, uma espécie invasora que causou grandes prejuízos nos arrozais, e gafanhotos, sendo portanto um auxiliar no controlo de pragas agrícolas;
- Nidifica desde o norte da Europa, exceto Escandinávia e Ilhas Britânicas, até ao Sul, incluindo a Ásia menor e migra no outono para o sul do Sara, até à África tropical;
- Forma casais monógamos que mantêm o mesmo ninho ano após ano, compondo e aumentado o ninho em cada ano, podendo este atingir 800 kg de peso e 225 cm de diâmetro;
- Apresenta, na costa alentejana, a única população a nidificar em rochedos costeiros, no mundo;
O seu som mais conhecido não é o piar, mas sim o caraterístico bater do bico, que frequentemente fazem quando estão no ninho.


Reportagem RTP 1 sobre a cegonha-branca




Agradecemos ao Arquivo de Sons Naturais, MUHNAC e ISPA-IU pela cedência do uso do som da cegonha-branca para a linha telefónica associada à campanha em vigor.

Bibliografia / para saber mais:
Cabral et al., (2005) – Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal, Instituto da Conservação da Natureza, Lisboa.
Rosa, G.; Encarnação,V. e Candelária, M. (2004). V Censo nacional da cegonha-branca, Ciconia ciconia (2004). SPEA e ICN. (rel. Não publ.)
Rosa e Quinta (2011). O regresso da Cegonha-branca. edição Luis Quinta. À venda na nossa loja






Política de privacidade, adicione aos favoritos, sugira este site © 2010 spea - Todos os direitos reservados.
Seara.com