Bem vindo ao site da SPEA - sociedade portuguesa para o estudo de aves

Opções do site

Subscrever Newsletter

Outras opções do site

Pesquisar no site

Data actual

Principais opções do site

Novembro 2017
D
S
T
Q
Q
S
S
 
 
 
1
3
5
6
7
8
9
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
27
28
29
30
 
 
A Nossa Missão
A SPEA é uma ONG de ambiente sem fins lucrativos, que tem por missão trabalhar para o estudo e a conservação das aves e seus habitats, promovendo um desenvolvimento que garanta a viabilidade do património natural para usufruto das gerações futuras.
Home  > Participar > Campanhas > Captura e abate ilegal > Que armadilhas são usadas?
imprimir

Que armadilhas são usadas?

Se detetar alguma destas armadilhas no campo, contacte por favor o SEPNA:


  • Redes – Encontradas muito facilmente à venda na Internet. Permite às aves ficarem vivas e serem usadas para vários fins.


  • Esparrela, ratoeira, costela, costelo, loisa – Armadilhas de arame nas quais se coloca um isco, geralmente formigas de asas, para que as aves morram de imediato. As aves capturadas desta forma são para fins gastronómicos.

  • Visgo (cola natural ou artificial) – Encontra-se muito facilmente na Internet e é fácil de fabricar em casa. As aves capturadas ficam com as penas presas ao visgo e são aprisionadas em gaiolas ou usadas posteriormente para fins gastronómicos.



  • Gaiolas – Usam-se outras aves como chamarizes. A ave selvagem ao entrar na gaiola, faz acionar um mecanismo que a fecha.



Impacto desta prática

A captura para fins gastronómicos, como animais de cativeiro e o abate de aves vitima pequenos pássaros, corujas, falcões, águias, picanços, corvídeos, etc..

Os passeriformes são excelentes controladores naturais de pragas, o seu desaparecimento implica não só a perda direta na biodiversidade, como também afeta a agricultura.







Política de privacidade, adicione aos favoritos, sugira este site © 2010 spea - Todos os direitos reservados.
Seara.com