Bem vindo ao site da SPEA - sociedade portuguesa para o estudo de aves

Opções do site

Subscrever Newsletter

Outras opções do site

Pesquisar no site

Data actual

Principais opções do site

Novembro 2017
D
S
T
Q
Q
S
S
 
 
 
1
3
5
6
7
8
9
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
27
28
29
30
 
 
A Nossa Missão
A SPEA é uma ONG de ambiente sem fins lucrativos, que tem por missão trabalhar para o estudo e a conservação das aves e seus habitats, promovendo um desenvolvimento que garanta a viabilidade do património natural para usufruto das gerações futuras.
Notícias


Governo alarga e cria novas Zonas de Proteção Especial para aves marinhas na costa continental portuguesa


Foi recentemente aprovada em Conselho de Ministros  a criação das Zonas de Proteção Especial (ZPE) do Cabo Raso e de Aveiro/Nazaré assim como a alteração dos limites das já existentes ZPE do Cabo Espichel e da Costa Sudoeste. A Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) há muito que espera esta decisão, tendo por base os dados recolhidos nos últimos anos acerca da distribuição das aves marinhas ao longo da nossa costa. A expectativa é que esta decisão seja o primeiro passo para uma maior proteção do oceano e das aves marinhas.

Estas áreas protegidas são designadas ao abrigo da legislação europeia - Diretiva Aves e irão reforçar a conservação das aves marinhas migradoras ao longo da costa continental portuguesa e simultaneamente contribuir para a rede ecológica que garante a proteção da vida selvagem e seus habitats na Europa – a rede Natura 2000.

Estas novas classificações irão complementar a atual rede de ZPE no meio marinho, que incluem a Ria de Aveiro, as Ilhas Berlengas, o Cabo Espichel e a Costa Sudoeste, oferecendo proteção às zonas de alimentação e repouso usadas pela população de pardela-balear, uma ave marinha criticamente em perigo a nível global, assim como de outras espécies de aves marinhas.

Na costa continental portuguesa ocorrem de forma regular cerca de 30 espécies de aves marinhas. Para além das espécies nidificantes no continente (tais como a cagarra e a gaivota-de-audouin), muitas outras aves frequentam as nossas águas como local de invernada ou durante a sua migração. Algumas ocorrem em números significativos para as suas populações globais ou europeias, como é o caso do alcatraz e da pardela-balear, a ave marinha mais ameaçada da Europa.

Ainda nas palavras de Joana Andrade, “as aves marinhas são o grupo de aves mais ameaçado do mundo e a proteção legal destas áreas marinhas é um passo fulcral para a sua conservação. No entanto, esse trabalho só será possível através da definição de planos de gestão adequados a cada área e através de um modelo de participação envolvendo os stakeholders relevantes, ou seja, pescadores, agentes económicos, entre outros, já que serão eles os agentes chave para a sua implementação prática”.

Se desejar mais informação acerca dos decretos de lei:

- Decreto-Lei n.º 204/2015 - Diário da República n.º 182/2015, Série I de 2015-09-1770300351 (PDF)
Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia Procede à alteração dos limites da Zona de Proteção Especial do Cabo Espichel e da Zona de Proteção Especial da Costa Sudoeste, criadas pelo Decreto-Lei n.º 384-B/99, de 23 de Setembro

- Decreto Regulamentar n.º 17/2015 - Diário da República n.º 185/2015, Série I de 2015-09-2270348608 (PDF)
Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia Cria as zonas de proteção especial do Cabo Raso e de Aveiro/Nazaré

7 de outubro de 2015








Política de privacidade, adicione aos favoritos, sugira este site © 2010 spea - Todos os direitos reservados.
Seara.com