Bem vindo ao site da SPEA - sociedade portuguesa para o estudo de aves

Opções do site

Subscrever Newsletter

Outras opções do site

Pesquisar no site

Data actual

Principais opções do site

D
S
T
Q
Q
S
S
2
3
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
29
30
31
 
 
 
 
A Nossa Missão
A SPEA é uma ONG de ambiente sem fins lucrativos, que tem por missão trabalhar para o estudo e a conservação das aves e seus habitats, promovendo um desenvolvimento que garanta a viabilidade do património natural para usufruto das gerações futuras.
Home  > Participar > Campanhas > Ave do Ano 2013 - Abetarda
imprimir

Ave do Ano 2013 - Abetarda




Onde observar a abetarda?
A abetarda vive em meios agrícolas abertos, sem arbustos e com árvores escassas, normalmente em mosaicos de cereal de sequeiro, leguminosas, restolhos, pastagens e pousios. Ocorre quase exclusivamente na planície alentejana, onde pode ser observada nas IBA’s (Áreas Importantes para as Aves) de Castro Verde, Cuba, Campo Maior, Vila Fernando/Veiros e Mourão/Moura/Barrancos.

O que come?
Os adultos são principalmente herbívoros, consumindo folhas tenras, rebentos, flores e também algumas sementes. Os pintos alimentam-se, numa primeira fase, de insectos e outros invertebrados do solo, e com o crescimento passam para uma dieta vegetal.

Estatuto de conservação
A abetarda sofreu um declínio acentuado desde o século XIX, tendo-se extinguido em muitos países da Europa. Dentro da União Europeia, as maiores populações encontram-se em Espanha e em Portugal, existindo ainda populações relíquia em vários países Centro Europeus. Em Portugal existem apenas 1500 abetardas e a espécie encontra-se Em Perigo de extinção.

Ameaças
As principais ameaças para a abetarda estão relacionadas com a alteração do uso do solo e com a mortalidade de aves por causas não naturais. A intensificação agrícola é particularmente grave, devido à substituição dos mosaicos extensivos por regadio e culturas permanentes. Também o abandono dos campos, traduzido na florestação de terras agrícolas, faz desaparecer o habitat desta espécie.

A mortalidade causada por colisão com cabos de transporte de electricidade e a caça furtiva são localmente muito negativos. É fundamental que os troços mais negros da rede eléctrica nacional sejam sinalizados e que a instalação de novas linhas seja bem planeada.

A importância da Política Agrícola Comum para a abetarda
A agricultura já não produz apenas bens alimentares e fibras. Produz também serviços. Neste contexto, é necessário que os agricultores, proprietários agro-florestais e os decisores políticos saibam que a biodiversidade rural é uma mais valia económica, na valorização dos produtos e serviços agrícolas. Uma agricultura de usos múltiplos, baseada na qualidade do ambiente, é essencial para o desenvolvimento sustentável do país.

A política agrícola da Europa precisa urgentemente de uma reforma. Há mais de 50 anos que práticas agrícolas nocivas poluem o solo, água e ar, e são subsidiadas e incentivadas pela União Europeia, enquanto a agricultura sustentável é renegada para segundo plano. É hora de mudar a Política Agrícola Comum (PAC), de modo a apoiar as boas práticas agrícolas e o desenvolvimento rural sustentável. A PAC deve subsidiar práticas que respeitem a natureza, produzam alimentos saudáveis, de modo sustentável, para as gerações futuras. Os eurodeputados e o governo Português têm o poder de votar uma PAC que não desperdice o dinheiro público e apoie a produção de alimentos através de práticas agrícolas que protejam o solo, a água e a biodiversidade. Uma PAC exigente em padrões ambientais, que crie medidas de desenvolvimento rural sustentável realmente eficazes. Isso vai beneficiar os agricultores, a sociedade actual e as gerações futuras.

Galeria de Imagens




Projeto-piloto para a avaliação de medidas de incremento da biodiversidade em explorações agrícolas

Com este projeto pretende-se realçar a estreita ligação entre a agricultura e a biodiversidade, experimentando e avaliando as melhores formas de aplicar no terreno as práticas agronómicas que favorecem o património natural.
- Relatório final

Programa de Desenvolvimento Rural 2014/2020
- Prioridades para o Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 e outros mecanismos de sustentabilidade ambiental da PAC em Portugal
- Parecer SPEA sobre a proposta de Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 para Portugal Continental



Seminário Agricultura +
| 16 junho

- Programa - Seminário Agricultura +

- Conclusões e apresentações






Política de privacidade, adicione aos favoritos, sugira este site © 2010 spea - Todos os direitos reservados.
Seara.com